O NASCIMENTO DE VÊNUS

O NASCIMENTO DE VÊNUS
O NASCIMENTO DE VÊNUS do pintor renascentista Sandro Botticelli

PUBLICIDADE

domingo, 8 de janeiro de 2017

  -UM NAZISTA ADMIRADO PELOS ALIADOS-

Rommel - A Raposa do Deserto

Resultado de imagem para Feldmarschall Erwin Rommel


Conta-se que o ainda general Erwin Johannes Eugen Rommel estava no deserto da Líbia em junho de 1942 comandando um esquadrão de tanques Panzer diante de um inimigo numericamente superior: a Inglaterra. Ele não se deixou abater. O inimigo estava longe e o observava à distância. O que ele fez??? Mandou que seus tanques andassem em círculos e subissem uma duna alta de areia, ininterruptamente. O movimento incessante dos tanques levantou uma coluna de poeira que subiu a dezenas de metros. Os ingleses, vendo uma fila indiana de tanques subindo a colina sem cessar, pensaram se tratar da maior divisão de tanques alemães na região e trataram de bater em retirada.

A ESPADA E A COROA DE LOUROS PARA O GENERAL ROMMEL. Na vitória contra adversários de qualidade superior. (Jornal Deutsch Allgemeine Zeitung de 22 de janeiro de 1942.


 Resultado de imagem para erwin rommel
Lendas à parte, a estória acima serve para ilustrar o prestígio deste comandante militar que era um dos favoritos de Hitler. O Führer via em Rommel um grande líder militar saído do "volks", o povo, assim como ele, Hitler, tinha saído do povo e se tornado um grande líder político. Infelizmente não era assim que o alto comando das forças armadas da Alemanha via o marechal condecorado como Cavaleiro da Cruz de Ferro pelo próprio Hitler. A maioria dos oficiais do alto comando era formada por uma elite aristocrática prussiana com tradição e descendência militares que o considerava membro da ralé, nas palavras do também marechal Gerd von Rundstedt. O fato é que o nazismo de Rommel pendia mais para um senso de admiração, gratidão e fidelidade à Hitler por sua ascensão militar do que propriamente um alinhamento aos ideais do Partido Nacional Socialista Alemão.  O Feldmarschall Erwin Rommel jamais trairia Adolf Hitler. Esse senso de fidelidade e sua brilhante atuação como estrategista levaram o seu nome a ser cotado para comandante supremo das forças armadas pelo grupo que conspirava a morte do Fuhrer num complô sem sucesso batizado de Operação Valkiria. Os conjurados chegaram a sondá-lo algumas vezes mas perceberam que a Raposa do Deserto não trairia seu mentor, Hitler. Mesmo assim o nome de Rommel foi envolvido no atentado fracassado e ele não pôde escapar da "caça às bruxas", controlada por seu  velho inimigo declarado, o secretário de Hitler, Martin Bormann. Em 14 de outubro de 1944, o Führer mandou dois generais à casa de Rommel que o colocaram diante de duas escolhas difíceis: suicídio por veneno e funeral com honras de chefe de Estado, além da segurança e proteção à sua família ou o tribunal do povo, exposição e represálias à sua família. A Raposa do Deserto optou pelo suicídio, encerrando de forma brusca a trajetória de um grande estrategista militar comparável, segundo alguns historiadores, a Napoleão ou Aníbal.



Resultado de imagem para o funeral de erwin rommel

 Resultado de imagem para erwin rommel morte Resultado de imagem para erwin rommel morte

CRONOLOGIA DO MARECHAL DE CAMPO ERWIN JOHANNES EUGEN ROMMEL

1891. Data de seu nascimento na cidade alemã de Heidenheim;
1910. Aos dezoito anos ingressa no exército alemão como cadete;
1914. Primeira Guerra Mundial. Ferido e sem munição, Rommel entra em combate corpo a corpo com soldados franceses. O Ato de bravura lhe rendeu a primeira condecoração, a Cruz de Ferro de 2a Classe, em setembro;
1934. Encontra-se com Hitler pela primeira vez em 30 de setembro;
1935. É nomeado tenente-coronel;
1937. Publica seu único livro A infantaria ataca, considerado por muito tempo o manual das academias militares de todo o mundo; 
1939. Rommel é elevado à patente de general;
1940. Recebe o comando da 7a Divisão Panzer, que será batizada posteriormente de Divisão Fantasma, devido aos ataques rápidos e movimentação silenciosa contra a França e os Países Baixos;
1941. Como comandante da 5a Divisão Ligeira e da 15a Divisão Panzer parte para a Líbia para apoiar as desmoralizadas tropas italianas, formando o Deutsche Afrika Korps;
1942. Conquista da fortaleza de Tobruk, na Líbia. Em 21 de junho recebe o  título de Marechal de Campo;
1942. É derrotado na Batalha de El-Alamein tendo que se retirar para Túnis;
1944. Nomeado para comandar a defesa na Normandia, não conseguiu evitar o dia D;
1944. Acusado de traição, suicida-se com veneno em 14 de outubro e, quatro dias depois é sepultado como herói nacional.

Chanté!!!
 




 

2 comentários:

  1. Parabens pelo seu texto claro e estimulante!
    Gostaria de ler a respeito das mulheres espiãs que ajudaram a ganhar a 2a GGM.

    Magali

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Taí uma matéria interessante. Vou pesquisar. Beijos.

      Excluir