O NASCIMENTO DE VÊNUS

O NASCIMENTO DE VÊNUS
O NASCIMENTO DE VÊNUS do pintor renascentista Sandro Botticelli

PUBLICIDADE

terça-feira, 29 de setembro de 2015

Message in a Botlle


Just a castaway, an island lost at sea, oh
Another lonely day, with no one here but me, oh
More loneliness than any man could bear
Rescue me before I fall into despair, oh

Pode parecer estranho, muito estranho, mas mensagens encontradas no interior de garrafas boiando à deriva no oceano são mais comuns do que se imagina. Como ou quando começou, ninguém sabe. Talvez na Antiguidade com as primeiras garrafas de vidro criadas pelos fenícios, mas é claro que isso não passa de mera especulação. O que sabemos é que marujos desleais, trapaceiros, desertores, briguentos, piratas ou não, eram deixados em ilhas desertas para morrer com nada mais além de uma garrafa de rum. Após beberem o conteúdo da garrafa, davam um jeito de escrever um bilhete em papel ou até mesmo tecido e o colocavam na própria garrafa que depois de lançada ao mar seguia o caminho das correntes oceânicas indo parar nas mãos de um pescador ou outro marinheiro. Isso pode ter acontecido com frequência durante os séculos XVI a XIX e não existem evidências historiográficas que tenha sido desta forma. Como eu disse, não passam de suposições. 

I'll send an S.O.S. to the world
I'll send an S.O.S. to the world
I hope thet someone gets my
I hope thet someone gets my
I hope thet someone gets my
Message in a Botlle, yeah
Message in a Botlle, yeah

Sabemos, no entanto, que existem casos reais de garrafas encontradas com mensagens em seu interior relatados ao redor do mundo, alguns extremamente curiosos. Vamos a eles:

Caso 1:

O pescador alemão Konrad Fischer (o sujeito que aparece na foto acima) segura, presa à sua rede de pesca, uma garrafa contendo uma mensagem datada de 1913, a bordo do veleiro Maria I, em Kiel na Alemanha. A mensagem, colocada dentro de uma garrafa de cerveja foi mostrada para uma das netas do autor, segundo um museu local e entrou para o Guinness, o Livro dos Recordes como a mensagem mais antiga encontrada em uma garrafa. 

A year has passed since I wrote my note
But I should have known this right from the start
Only hope can keep me together
Love can mend your life but
But love can break your heart

Caso 2:

Durante uma caminhada em uma praia da Escócia, um casal encontrou a garrafa acima contendo uma mensagem datada de 1971. A carta foi escrita por Raymond Davidson há quarenta e quatro anos atrás, época em que Davidson tinha quatorze anos e estava visitando a Escócia, pois morava na Inglaterra.


"Esta carta foi jogada ao mar em Cove, Aberdee em 15/01/71 por Raymond Davidson (14 anos). Por favor entre em contato." dizia a mensagem que dava o endereço de um bairro chamado Carlisle, na Cumbria (noroeste da Inglaterra).

Shelley Thomas conta que ela e o marido Sean saíram para caminhar na areia da praia quando depararam com algumas garrafas. Ele, que é colecionador, começou a revirá-las e então achou a garrafa lançada por Davidson. Ambos tem esperança de se encontrar com o autor da mensagem que deve estar com 59 anos.

I'll send an S.O.S. to the world
I'll send an S.O.S. to the world
I hope that someone gets my
I hope that someone gets my
I hope that someone gets my

 

Caso 3

O cartão postal acima foi encontrado por Marianne Winkler, uma aposentada alemã na praia de Amrum, Alemanha. Estava no interior de uma garrafa jogada ao mar entre 1904 e 1906 o que lhe daria 111 ou 109 anos de idade e bateria o recorde do Caso 1 como a mensagem mais antiga encontrada em uma garrafa. É um cartão postal é pede que quem o encontre envie para a Associação de Biologia Marinha do Reino Unido em Plymouth, Inglaterra. O porta voz da Associação, Guy Baker disse estar animado com o achado. Segundo ele, a instituição lançou no Mar do Norte cerca de mil garrafas contendo a mesma mensagem e fazia parte de um estudo sobre correntes marinhas oceânicas dirigido por George Parker Bidder. Como podemos notar, a mensagem está escrita em inglês, alemão e holandês e promete uma recompensa de um Shilling (subdivisão da libra esterlina, extinta em 1971). Atualmente esta mensagem já consta no Guinness como a mais antiga do mundo encontrada em uma garrafa.



Message in a bottle, yeah

Message in a bottle, yeah

Message in a bottle, yeah

Message in a bottle, yeah



Walked out this morning, don't believe what I saw

Hundred billion bottles washed up on the shore

Este post foi sugestão de Bruna Barbosa, aluna do terceiro ano do ensino médio da Escola Estadual Bom Pastor II e os textos em inglês são trechos da música Message in a Botlle do grupo britânico The Police.  Santé !!!!




domingo, 20 de setembro de 2015




@ universo inexplicável @


O TRIÂNGULO DAS BERMUDAS


Pode parecer que estou enxugando gelo ao postar uma matéria sobre o Triângulo das Bermudas. Afinal, quem já não escreveu ou leu sobre o assunto. Se recorrermos ao sistema de pesquisa do Google vamos encontrar somente 384.000 resultados para a nossa busca. Mas aqui entre nós: que tem alguma m... acontecendo naquele lugar, ahh isso tem!!! Pra começar, tem o explorador italiano Cristovão Colombo que, no meio do Triângulo das Bermudas faz a seguinte anotação em seu diário de bordo:


Sábado, 15 de setembro (de 1492)
. – Navegou neste dia, com a noite incluída, vinte e sete léguas na sua rota para o oeste e algumas mais. E logo no começo da noite viram cair do céu um maravilhoso galho de fogo no mar, a uma distância de quatro ou cinco léguas de onde se encontravam.

Aqueles homens viram cair do céu um maravilhoso galho de fogo no mar. Sinistro, não? Ok, poderia ser um meteorito (chamado também de estrela cadente), mas aqueles homens do mar acostumados quase que a vida inteira a contemplar o céu saberiam a diferença entre uma estrela cadente e outros fenômenos.
Bom, vamos aos fatos. Primeiro, o Triângulo das Bermudas é uma área no mar delimitada pela ilha de Porto Rico, ilhas Bermudas e Fort Lauderdale na Flórida. Essa área é de aproximadamente 1,1 milhão de quilômetros quadrados. Segundo, estranhos fenômenos ocorrem nesta área que vão desde furacões até estranhos nevoeiros. Terceiro, navios e aviões desaparecem com uma inegável frequência, muitos sem deixar pistas. Quarto, cientistas acreditam (mas não provam) que um bolsão de hidrato de metano pode ser o responsável e que as erupções frequentes deste gás poderiam afundar barcos e explodir aviões já que estamos falando de gigantescas quantidades de gás de cozinha (metano) que é altamente inflamável.
A verdade é que o mistério que envolve o desaparecimento de navios e aviões na área conhecida como triângulo das Bermudas ainda não foi solucionado. Resta esperar que novas tecnologias ajudem a encontrar uma resposta.

Abaixo, uma lista dos desaparecimentos registrados na região:

 
  • ·   1840 - Rosalie - embarcação francesa encontrada meses após o seu desaparecimento, na área do Triângulo das Bermudas, navegando com as velas recolhidas, a carga intacta, porém sem vestígios de sua tripulação.
  • ·     1880 - Atlanta - Fragata britânica que desapareceu em Janeiro com 290 pessoas a bordo.
  • ·    1902 - Freya - embarcação alemã que ficou um dia desaparecida. Saiu de Manzanillo, em Cuba no dia 3 de outubro. Foi encontrada no dia seguinte, no mesmo local de onde havia saído, porém sem nenhuma pessoa a bordo: todos os tripulantes desapareceram.
  •  1909 - The Spray - pequeno iate do aventureiro canadense Joshua Slocum, que desapareceu nesta área.
  • 1917 - SS Timandra - embarcação que iria para Buenos Aires que tinha partido de Norfolk (Virgínia) com uma carga de carvão, e uma tripulação de 21 passageiros. Não emitiu nenhum sinal de rádio.
  • 1918 - Cyclops - embarcação carregada com 19.000 toneladas de aprovisionamentos para a Marinha Norte-americana, com 309 pessoas a bordo. Desapareceu a 4 de março em mar calmo, sem emitir aviso, mesmo dispondo de rádio.
  •  1921 - Carroll. A. Deering - cargueiro que foi encontrado encalhado próximo ao cabo Hatteras, cerca de 1000 km a oeste das ilhas Bermudas. Sua tripulação havia sumido e, junto com ela, o diário de bordo, dois coletes salva-vidas e seus bens pessoais. A refeição estava posta, mas ninguém comeu.
  • 1925 - Raifuku Maru - embarcação que afundou em uma tempestade a cerca de 1000 km ao norte das ilhas Bermudas.
  • 1925 - Cotopaxi - embarcação desaparecida próximo a Cuba.
  • 1926 - SS Suduffco - embarcação que afundou em um furacão no triângulo.
  • 1931 - Stavenger - cargueiro desaparecido com 43 homens a bordo.
  • 1932 - John and Mary - embarcação desaparecida em Abril. Foi encontrada posteriormente à deriva, a cerca de 80 quilômetros das ilhas Bermudas.
  • 1938 - Anglo-Australian - embarcação desaparecida em Março, com uma tripulação de 39 homens. Pediu socorro quando estava próxima ao Arquipélago dos Açores.
  • 1940 - Gloria Colite - embarcação desaparecida em Fevereiro. Foi encontrada com tudo intacto, mas sem a tripulação.
  • 1942 - Surcouf - submarino francês que foi atacado pelo cargueiro norte-americano Thompson Lykes perto do Canal do Panamá, cerca de 1800 km do triângulo
  • 1944 - Rubicon - cargueiro cubano desaparecido em 22 de outubro. Foi encontrado mais tarde pela Guarda Costeira Norte-americana próximo à costa da Flórida.
  • 1945 - Super Constellation - aeronave da Marinha Norte-americana desaparecida em 30 de Outubro, com 42 pessoas a bordo.
  • 1945 - Voo 19 ou Missão 19 ("Flight 19") - esquadrilha de cinco aviões TBF Avenger, desaparecida em 5 de Dezembro.
  • 1945 - Martin Mariner - hidroavião enviado na busca do Voo 19, também desapareceu em 5 de dezembro, após 20 minutos de voo, com treze tripulantes a bordo.
  • 1947 - C-54 - aeronave do Exército dos Estados Unidos, jamais foi encontrado.
  • 1948 - DC-3 - aeronave comercial, desaparecida em 28 de dezembro, com 32 passageiros.
  • 1948 - Tudor IV Star Tiger - aeronave que desapareceu com 31 passageiros.
  • 1948 - SS Samkey - embarcação que afundou a 4200 km a nordeste do triângulo e a 200 km a nordeste dos Açores.
  • 1949 - Tudor IV Star Ariel - aeronave que desapareceu no triângulo.
  • 1950 - Sandra - cargueiro transportando inseticida, desapareceu em Junho e jamais foi encontrado.
  • 1950 - GLOBEMASTER - Avião desaparecido em março. Era um avião comercial dos Estados Unidos.
  • 1952 - YORK - Avião de transporte britânico. Desaparecido em 2 de fevereiro. Tinha 33 passageiros a bordo fora a tripulação. Sumiu ao norte do Triângulo das Bermudas.
  • 1954 - Lockheed Constelation - aeronave militar com 42 passageiros a bordo que desapareceu no triângulo.
  • 1955 - CONNEMARA IV - Desapareceu em setembro e apareceu 640km distante das bermudas, também sem tripulação.
  • 1956 - MARTIN P-5M - Hidroavião desaparecido em 9 de novembro. Fazia a patrulha da costa dos Estados Unidos. Sumiu com dez tripulantes a bordo nas proximidades do Triângulo das Bermudas.
  • 1957 - CHASE YC-122 - Desaparecido em 11 de janeiro. Era um avião cargueiro com quatro passageiros a bordo.
  • 1962 - Um avião KB-50 desapareceu em 8 de janeiro. Tratava-se de um avião tanque das Forças Aéreas dos Estados Unidos. Desapareceu quando cruzava o Triângulo.
  • 1963 - MARINE SULPHUR QUEEN - Cargueiro que desapareceu em fevereiro sem emitir nenhum pedido de socorro.
  • 1963 - SNO'BOY - Desaparecido em 1º de Julho. Era um pesqueiro com vinte homens a bordo. Nunca foi encontrado.
  • 1963 - 2 STRATOTANKERS KC-135 desapareceram em 28 de agosto. Eram 2 aviões de quatro motores cada, novos, a serviço das forças aéreas americanas. Iam em missão secreta para uma base no Atlântico, mas nunca chegaram no local.
  • 1963 - CARGOMASTER C-132 - Desaparecido em 22 de setembro perto das ilhas Açores.
  • 1965 - FLYNG BOXCAR C-119 - Desaparecido em 5 de junho. Era um avião comercial com dez passageiros a bordo.
  • 1967 - WITCHCRAFT - Desaparecido em 24 de dezembro. Considerado um dos casos mais extraordinários do Triângulo. Tratava-se de uma embarcação que realizava cruzeiros marítimos. Estava amarrado a uma bóia em frente ao porto de Miami, Flórida, a cerca de 1600 metros do solo. Simplesmente desapareceu com sua equipe e um passageiro a bordo.
  • 1970 - Milton Latrides - cargueiro francês que partiu de Nova Orleans em direção à Cidade do Cabo. Levava uma carga de azeite vegetal e refrigerante. Afundou no triângulo em Abril.
  • 1973 - ANITA - Desaparecido em março. Era um cargueiro de 20.000 toneladas que estava circulando próximo ao Triângulo com 32 tripulantes a bordo.
  • 1976 - Grand Zenith - petroleiro, afundou com pessoas e bens a bordo. Deixou uma grande mancha de petróleo que, pouco depois, também desapareceu.
  • 1976 - SS Sylvia L. Ossa - embarcação que afundou em um furacão a oeste das ilhas Bermudas.
  • 1978 - SS Hawarden Bridge - embarcação que foi encontrada abandonada no triângulo.
  • 1980 - SS Poet - embarcação que afundou em um furacão no triângulo. Transportava grãos para o Egito.
  • 1995 - Jamanic K - cargueiro que afundou no triângulo, depois de sair de Cap-Haïtien.
  • 1997 - Iate - É encontrado um iate alemão.
  • 1999 - Genesis - cargueiro que afundou depois de sair do porto de São Vicente; sua carga incluía 465 toneladas de tanques de água, tábuas, concreto e tijolos; informou de problemas com uma bomba um pouco antes de perder o contato. Foi realizada uma busca sem sucesso em uma área de 85.000 km² (33.000 milhas quadradas).

·         Outros eventos:

·      Um Cessna 172 é "caçado" por uma nuvem, o que resulta em funcionamento defeituoso de seus instrumentos, com consequente perda de posição e morte do piloto, como informaram os passageiros sobreviventes.
·         Um Beechcraft Bonanza voa para dentro de uma monstruosa nuvem cúmulo ao largo de Andros, perde o contato pelo rádio e logo o recupera, quatro minutos depois, mas descobre que agora está sobre Miami, com mais vinte e cinco galões de gasolina do que deveria ter-quase exatamente a quantidade de gasolina que seria gasta pelo aparelho numa viagem Andros-Miami.
·         Um 727 da National Airlines fica sem radar durante dez minutos, tempo em que o piloto informa estar voando através de um leve nevoeiro. Na hora de aterrissar, descobre-se que todos os relógios a bordo e o cronômetro do avião perderam exatamente dez minutos, apesar de uma verificação da hora cerca de trinta minutos antes da aterrissagem.